Agradeço a todas as visitas e comentários! Seja bem vindo!!! Que Deus abençoe a tua vida!

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Redenção da Educação

O aprendizado, as lições passadas, as experiências compartilhadas naqueles 14 dias de SEDEC na Fazenda Rio Grande/PR foram realmente marcantes. Os vários testemunhos e os laços afetivos criados comprovam isso. Restam as saudades e o desafio de colocarmos em prática algumas coisas aprendidas. Não podemos nos esquecer jamais de que Deus nos colocou e nos deixa neste mundo para fazermos diferença.

Na Sexta-feira (18/07/2008) de manhã a Andressa compartilhou sobre a A Redenção da Educação. Foram citados alguns pensadores da Educação:

Confúcio: educação para o povo, inclusive para os pobres.

Agostinho: Toda a educação, toda verdade vem de Deus.

Lutero: A separação do ensino por faixas etárias. O ensino deve ser um ensino útil.

Wallon: O ensino deve ser integral. Ver a criança como um todo. Formação integral.

Deus tem vocacionado pessoas para redimir também essa esfera da existência. Os educadores cristãos precisam tomar cosciência de que são chamados a assumir sua responsabilidade diante dos desafios de educar as novas gerações.

Projetos e Recursos

Na quarta e quinta-feira (16 e 17/07/2008) a Márcia Suss falou sobre elaboração de projetos e captação de recursos. Confesso que estava tão cansado, além de gripado, que não aproveitei muito. Consegui captar pouco do ensinamento. Abaixo alguns conceitos expostos. Tenho que dizer também que particularmente eu conceituo Propósito, objetivo e meta um pouco diferente.

A meta deve descrever o objetivo geral e os objetivos específicos. Os objetivos respondem a pergunta: “para que se faz o projeto?”.

O objetivo geral é aquele que expressa a maior amplitude, exigindo um tempo mais longo para ser atingido e a ação de outros atores, que como o propositor, contribuem para a resolução do mesmo problema. Assim, o objetivo geral é aquele que só será alcançado pela somatória de várias ações e pelo trabalho de vários atores. Indica como o projeto poderá contribuir para a minimização dos problemas.

Objetivo específico: são os desdobramentos do objetivo geral, expressando diretamente os resultados esperados. São os focos imediatos do projeto, que orientam diretamente suas ações.

Para visitar o Blog Recursos Já sobre o Terceiro Setor clique aqui.



quarta-feira, 23 de julho de 2008

Na quarta e quinta-feira (dias 16 e 17/07) ouvimos sobre Elaboração de Projetos e Captação de Recursos. A segunda semana do SEDEC foi mais prática. O Seminário terminou no sábado a noite. Só ontem chegamos em casa. Com tempo vou postar mais algumas coisas a respeito das duas últimas semanas no CADI que foram realmente maravilhosas.

sábado, 19 de julho de 2008

ONGs

Na terça-feira (15/07/2008) a turma estava toda com a cabeça nos projeto semente que seriam colocados em prática a tarde. No entanto, a manhã foi com aula. Acyr de Gerone falou sobre Terceiro Setor – ONG’s – Organizações Religiosas. O assunto tratado foi sobre as questões legais em torno da ONGs.

ONG é um conjunto de organizações sem fins lucrativos (e econômicos) que, a partir do âmbito privado, almeja propósito de interesse público.

ONG’s são instituições privadas, com fins públicos (Rubens César Fernandes).

São formais, autônomas e voluntárias.

América Latina: melhorar a condição social comunitária e agir na democratização e mobilização popular.

Função Social: Estrutura formal fora do Estado, ligadas à comunidade/sociedade através de atos de solidariedade e forte esforço voluntário. Não distribuem lucro, relativa autonomia (auto governadas).

No Brasil

Primeiro setor – governo, fins e recursos públicos.

Segundo setor – mercado, recursos privados e fins lucrativos.

Terceiro setor - recursos privados ou públicos para fins públicos. Complementam a atuação do estado.

ONG = associação, fundação, entidades religiosas

Associação: Associativo, beneficente, OSCIP.

Associação – foco nas pessoas

Fundação – foco nos bens.

http://www.projetofazendodiferenca.org/

http://www.icd.org.br/

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Amazing Grace

Sobre a Música Amazing Grace, clique aqui.

A Música no Youtube.

Clique aqui para ver sobre o Filme Amazing Grace.

Reino de Deus

Depois da CosmoNight do sábado a noite nada como um domigo de folga. Deu para descansar um pouco, dormir até mais tarde...

Logo veio a segunda-feira (14/07/2008). A manhã foi dedicada para que as equipes trabalhessem no planejamento dos Projetos Semente. Projetos que são verdadeiras ações proféticas que podem tranquilamente ser colocadas em prática com recursos mínimos. A turma do SEDEC foi dividido em 6 equipes. Cada equipe apresentou seu projeto a noite onde os obreiros ministrantes do SEDEC puderam avaliar e dar as dicas para que tudo saísse bem na terça-feira.

A tarde assistimos em Vídeo uma Palestra com Ed René Kivitz.

Marcos 1. 14 -15

Reino de Deus.

Jesus, ao falar sobre o Reino de Deus, não estava se referindo ao ambiente de vida após a nossa morte (céu). Jesus está falando de uma realidade presente.

Jesus não está falando da igreja. Igreja é a comunidade do reino, mas não é o reino. O corpo de Cristo na Terra é a igreja.

A compreensão do reino de Deus foi reduzida. Reino de Deus é um conceito muito mais abrangente do que igreja e do que céu.

O discurso a igreja hoje se resume a: ‘Venha para a igreja para que depois da sua morte você vá para o céu’.

Reino de Deus é um tema que está ausente dos nossos processos de discipulado. Jesus não freqüentava igreja e nem escola dominical. Jesus não chamou ninguém para a igreja e nem para o céu. O assunto de Jesus era o Reino de Deus. O mundo é onde devemos estar.

O Reino de Deus está próximo: está aqui. Não se trata de um ‘próximo’ cronológico.

Arrependimento não é um sentimento a respeito do pecado. Arrependimento é mudança de mente. Eu entendi uma coisa e vivia de acordo com aquilo que eu entendia. Agora, que enxergo outra coisa, passo a viver de acordo com aquilo que eu entendo agora.

Iconoclasta – destruidor de ídolos. Jesus foi um iconoclasta. Jesus derruba os conceitos humanos. Jesus anuncia que o reinado de Deus chegou.

Jesus quebra as convenções sociais. Para viver no reino de Deus é preciso mudar a cabeça. Mudar a maneira de pensar. É colocar todas as coisas na perspectiva do reino de Deus. O Reino de Deus chegou!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

É uma festa...?


Ainda no sábado (12/07/2008), a noite foi de festa: CosmoNight.
Para ver mais fotos do SEDEC 2008 clique aqui.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Fortalezas da Mente e Ações Proféticas

Na Sexta-Feira (11/07/2008) a Noite o Marcel falou sobre Fortalezas da Mente e Ações Proféticas

Quebra de Fortalezas – Transformação de Mentes.

II Rs 18. 1 – 5

A Bíblia é um livro antigo, mas não desatualizado. Precisamos voltar às primeiras obras (Ap 2. 4).


No Sábado (12/07/2008) pela Manhã o Marcel continuou com a palavra falando sobre a Igreja Local como Centro do Processo de Desenvolvimento.

Livros:

Missões Transculturais – Ed. Betania – Ralf Winter

Missão Transformadora – David J. Bosh

Ortodoxia – G. K. Chesterton

Igreja Local como Centro do Processo de Desenvolvimento

As duas estruturas redentoras de Deus. Uma abordagem histórica da missão da igreja a partir de Ralph Winter.

Missio Dei – Na execução da sua missão Deus levanta igrejas locais e equipes missionárias. Cada uma das esferas da criação tem as suas próprias leis. Deus é soberano sobre todas as esferas da vida.

Como uma igreja local pode fomentar vocações?

A autoridade final não a igreja, mas a Palavra revelada. A Igreja deve transitar nas questões da fé. Projeto Social não é igreja. A igreja local atua na esfera pística (fé). O Reino de Deus (Igreja) atua ou está em todas as esferas. Fazer todas as coisas para refletir quem Deus é (arte, justiça, medicina, trabalho, etc).

A Igreja comete 3 erros:

1. Impor sua esfera de responsabilidade sobre as outras (Fundamentalismo). Os vocacionados para cada esfera devem buscar na Palavra os princípios bíblicos para sua esfera. Quando alguém deseja impor à sociedade uma visão de mundo a partir da sua esfera de atuação essa pessoa se torna fundamentalista.

2. Dar prioridade a outra esfera de responsabilidade que não a sua (Secularismo). Empresa (centralidade no dinheiro), clube social (centrada demais só na comunhão).

3. Isolar a sua esfera de responsabilidade das outras esferas (Fideísmo). Só a igreja vale. Não se envolve nas outras esferas fomentando vocações. A igreja ajuda hoje estudantes de teologia, mas e quanto àqueles vocacionados para redimir as outras esferas da sociedade? Somente os teólogos são enviados com imposição de mãos e oração. E os demais profissionais


Três sugestões:

  1. Focalizar sua própria esfera de responsabilidade – a preservação, promoção, e nutrição da fé.
  2. Fazer isto sem perder de vista as leis das outras esferas (justiça, beleza, etc) para a promoção da fé.
  3. A igreja deve educar os santos para viver o cristianismo em todas as esferas da vida conforme a vocação de cada um, e enviá-los ao mundo.


Ezequiel 37

A iniciativa parte de Deus. Profetas e profecias corretas dizem respeito a quem Deus é. As profecias partem de Deus. Deus nos leva para longe das soluções que dependem de nós mesmos. Não existem respostas certas. Não existem quites, pacotes ou passos determinados... O ministério profético acontece no deserto. A profecia bíblica aponta para uma realidade concreta da rotina humana. Afeta TUDO. A igreja hoje é herdeira do ministério profético bíblico.

Lucas 3

Ministérios proféticos geram ações proféticas. A profecia bíblica é referência. ‘O que fazer?’ (10). A profecia anuncia juízo e arrependimento. A profecia bíblica anuncia a anistia e a justiça. Anuncia um Deus preocupado com a equidade. A profecia bíblica aponta para Jesus. Para aquele que virá restaurar todas as coisas.

A profecia biblicamente respaldada gera ações concretas. A Bíblia é pé no chão, tão pé no chão que o nosso Deus veio pisar no nosso chão.


sábado, 12 de julho de 2008

O Coração de Deus para Com Os Pobres

A manhã de Sexta-Feira (11/07/2008) foi com a Dayse que compartilhou com o grupo o tema O Coração de Deus para Com Os Pobres.

No livro O Reino Entre Nós, encontramos um capítulo que fala sobre tema em questão (capítulo 02).

A Bíblia utiliza várias palavras diferentes quanto se refere ao pobre. Cada uma identifica um tipo diferente de carência. Hoje, reunimos tudo numa palavra só. Isso pode prejudicar ou limitar as intervenções para uma transformação integral da comunidade.

Pobreza vai além daquilo que encontramos no Dicionário Aurélio. Não podemos tratar todos os pobres como se fossem iguais, como se apresentassem as mesmas carências. Todos são pobres. Todos nós dependemos da graça de Deus. Todos nós carecemos de alguma coisa.

As nossas ações práticas na direção do pobre não pode ser igual para todos. A motivação é única. Parte de uma visão que acredita que pode haver transformação em todas as esferas da vida humana.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Espaço de Aprendizagem Virtual

Tearfund

Antropos

Visão Mundial

CADI

Revista Passo a Passo

Ajudando Com Sabedoria

A tarde de Quinta-feira (10/07/2008) o tema foi Ajudando com Sabedoria com Maurício Cunha

Filho pródigo x Bom samaritano

Às vezes ajudar é parar de dar. Como saber quando é hora de dar e quando é hora de parar de dar?

O ideal é começar um projeto com uma necessidade sentida para chegar num projeto para a necessidade real. As pessoas dificilmente têm consciência ou vão expressar a necessidade real. Então é preciso estratégias para chegar a essas necessidades reais. Algumas dicas: Começar pelas necessidades sentidas, conquistar a pessoa chave (liderança) da comunidade, iniciar um projeto com as crianças...

O assunto, entre outros, é tratado no livro O Reino Entre Nós: Transformação de comunidades pelo evangelho integral de Mauricio Cunha e Beth Wood.


quinta-feira, 10 de julho de 2008

Sanidade Integral

A manhã de Quinta-feira (10/07/2008) começou com o Pastor Edson Barbosa compartilhando um pouco sobre a sua vida. Uma frase que chamou a atenção foi: Enquanto estamos vivos os sonhos de Deus para nossa vida não terminaram.

O tema tratado pelo pastor foi Sanidade Integral.

A maior parte do estresse humano está relacionado ao mau uso do tempo. Quando reclamamos da falta de tempo é como se disséssemos que Deus foi tolo e que estava por fora, por exemplo, quando determinou que um dia tivesse 24 horas. É tudo uma questão de prioridades.

A não ser que haja um convencimento interno não há ação concreta no âmbito prático da nossa vida. Sem um convencimento interno começamos muita coisa, mas não terminamos nada. Deus disse que há tempo para tudo.

Propósito é uma intenção interna que ganha uma forma externa. Ninguém pode obrigar você a fazer o que você não está disposto a fazer. Há tempo pra tudo. Se não fizermos com a desculpa de que não deu tempo é porque não priorizamos. Ou seja, a maior parte do tempo nós não estamos vivendo o estilo de vida para o qual Deus nos criou para viver.

Prioridades: Ef 5 e 6.

Importante: Agenda não é senhora e serva. O que faz parte das suas prioridade?

Qual é o foco do seu ministério?

Entretempo = um tempo entre dois tempos.

Devemos gastar-nos e não desgastarmos-nos.

Plano de salvação é um plano emergencial de saúde. É um plano de cura, de salvação. O pecado é uma doença. Pode se manifestar no comportamento ético. Mas, isso é efeito da doença, são sintomas.

O Éden não significa espaço físico, mas significa plenitude de vida. Éden significa saúde plena em todas as dimensões da vida.

As 3 dimensões do pecado: individual, corporativo (ações coletivas que ferem os princípios de Deus) e sistêmico (o mundo jaz no maligno). Por isso, a cura precisa passar por todas as esferas da vida.

Espírito – foi salvo no sacrifício de Jesus na cruz (passado).

Alma = intelecto, vontade, emoções, sentimento. (Gl 5. 22, 23) O ES habitando em nós forma em nós o caráter de Cristo. Nossa alma está sendo salva, redimida, restaurada... (presente)

Corpo – será glorificado (futuro).

Após a queda o ser humano que foi criado para viver a plenitude começa a se degradar.

Após a queda, Deus cobre a nudez humana. Infelizmente a instituição igreja se especializou em descobrir o pecado. A nossa vida cristã deve ser baseada naquilo que Deus é e não naquilo que eu sou.

Corpo - soma

Alma - psique

Espírito - pneuma

Somos pneumo psicossomáticos. O pecado se manifesta nas 3 dimensões da vida humana.

A igreja é o último reduto terapêutico na Terra. Se ali as pessoas não encontrarem a cura, não encontrarão mais em lugar nenhum. Cristo é a pessoa mais saudável que existiu na face da Terra.

Ou levamos saúde ou levamos enfermidade.

Felicidade = estar em harmonia com os princípios de Deus para a minha vida.

A Alma Católica dos Evangélicos no Brasil

Artigo lido pelo Pastor Edison Barbosa na manhã de quinta feira no
SEDEC 2008.
Para ler o artigo
A Alma Católica dos Evangélicos no Brasil de
Augustus Nicodemos Clique Aqui.

Visão



Jesus perguntou-lhe:
“O que você quer que eu lhe faça?”

“Senhor, eu quero ver”

(Lucas 18. 40, 41)

Somos Integrais...


Alimentando o físico...

Cosmovisão Bíblica e Transformação Integral

Hoje, quarta-feira (09/07/2008) a tarde, nós saímos um pouco da base do CADI. Os 68 participantes do SEDEC foram divididos em equipes e saímos para ‘espiar a terra’. Isso significa que fomos observar os bairros da cidade de Fazenda Rio Grande. O objetivo é que as equipes trabalhem projetos destinados a essas comunidades. Hoje foi só ‘espiar’.

A noite o Maurício concluiu o assunto sobre Cosmovisão Cristã. A Mente Controla a Matéria (Hb 11. 3).

Existe hoje uma cultura predominante no mundo. A cultura americana se evidencia no capitalismo, na língua, na cultura (filmes, música). Na época do NT a cultura dominante era a grega. O dualismo grego diz que a matéria é má e o que é etéreo é sagrado (bom). A cultura grega separa o espiritual e o físico. Com a chegada do cristianismo ouve uma fusão entre elementos do cristianismo e a cultura grega. Sofremos as conseqüências da cultura grega até hoje. Nessa dicotomia Deus se relaciona com aquilo que tem a ver com o sagrado. Deus não penetra o cotidiano chamado de secular. Essa compreensão limita o poder, a soberania e a atuação de Deus no mundo. Daí nasce o gnosticismo evangélico. Infelizmente, boa parte da igreja limitou a sua ação ao esconder-se e fugir dos grandes desafios da sociedade. Com isso ela perdeu a batalha pela cultura, pelas artes, pela transformação da sociedade. O resultado foi uma igreja preocupada apenas em povoar o céu.

Coram Deo = Diante de Deus. Uma das ênfases da reforma é que Deus governa sobre todas as áreas da vida e não apenas sobre aquilo que achamos pertencer ao plano espiritual. “Não há um só centímetro, em todos os domínios da nossa vida humana, sobre o qual Cristo, o Senhor de tudo, não clame: É Meu!!!” (Abraham Kuyper).

Missão Integral não é evangelismo mais ação social. Missão Integral não é evangelismo mais ação política. Missão Integral é redenção de todas as coisas! É a aplicação das verdades de Deus em todas as esferas da vida.


A influencia dicotômica gera uma igreja alienada. Santificação na igreja onde se almeja o céu e fora da igreja o mundo que caminha para a morte. Por outro lado, pode gerar também o ‘cristão’ totalmente comprometido com o mundo de modo que ele se torna indistinguível. Alguém que não faz diferença nenhuma.


A igreja que vive em equilíbrio deve ser uma igreja fomentadora de vocações.

Conclusão: A fé define como o ser humano vê o mundo. Toda religião fornece uma lente para interpretarmos o mundo.

Não há religião que não seja uma cosmologia ao mesmo tempo que uma especulação sobre o Divino. Se a filosofia e as ciências nasceram da religião, é que a própria religião começou por fazer as vezes de ciência e de filosofia. Mas o que foi menos notado é que ela não se limitou a enriquecer com um certo número de idéias um espírito humano previamente formado; também contribui para formar esse espírito ... Os homens devem a ela ... A forma segundo qual os conhecimentos são elaborados”. (Émile Durkheim - “As formas elementares da vida religiosa” Martins Fontes – XV).

Toda a religião fornece uma lente para interpretarmos o mundo.

O Cristianismo histórico: Interpretação TOTAL da realidade a partir da revelação de Deus.

1. Escrituras: Oferecem um escopo integral não dualista para a formação de uma cosmovisão cristã.

2. Cosmovisão Cristã: Visão total do mundo e da vida, tanto descritiva quanto prescritivamente, a partir dos princípios revelados por Deus nas Escrituras.


Desafio para a igreja brasileira: Pensar o cristianismo como sistema interpretativo de toda a realidade e como aplicar a cosmovisão cristã em todas as áreas da sociedade brasileira.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Cosmovisão Bíblica e Transformação Integral

Cosmovisão Bíblica e Transformação Integral foi o tema que continuamos acompanhando na tarde da quarta feira. O tema é apresentado pelo Maurício Cunha (Foto ao lado).

Vivemos uma época onde é bom aquilo que dá dinheiro. Essa é uma marca do secularismo. Essa cosmovisão está também muito presente na igreja. Por exemplo, a teologia da prosperidade. Essa idéia permeia tudo: desde as artes até a realização no trabalho.

A igreja deve afirmar a dignidade humana: tanto do homem quanto da mulher. Outra coisa quebrada pela cosmovisão cristã é a síndrome de fatalismo (Gabriela). A cosmovisão cristã entende que o homem é cooperador na criação. Recebemos um mandato cultural de Deus.

O melhor profissional é aquele que cumpriu melhor o mandato cultural de exercer domínio (Gn 1. 26). Os cristãos deveriam ser aqueles que melhor estão exercendo o mandato cultural. Infelizmente, essa não é a realidade. Não tem como trabalhar desenvolvimento comunitário sem entender o mandato cultural. Deus não é só redentor, Ele é também Criador.

Deus chama o homem para participar do processo (Gn 2. 19). Ele confere ao ser humano autoridade sobre a Sua criação. Porém, o homem precisa compreender isso, que ele é co-gestor com Deus. O ser humano é co-cooperador com Deus: “e o nome que o homem desse acada ser vivo, esse seria o seu nome”. Cabe a nós a iniciativa, a participação, a responsabilidade para com a Criação. Como nós temos desempenhado o mandato cultural para nó?

Obediência é ouvir com atenção. Deus não nos fez robozinhos. Não são os astros ou os espíritos que determinam as coisas. Deus deu autoridade sobre o planeta Terra ao homem. O demônio entra quando o homem permite. A história não é algo que acontece a mim. A história é algo que eu construo... que eu posso fazer acontecer.

A história caminha para algum lugar avançando em direção ao Reino de Deus. No secularismo se crê que a vida é essa aqui e que após a morte acabou. No animismo a crença é de que a história é cíclica (reencarnação).

Você faz a história! Jr 5. 1: Deus procura homens e mulheres para mudar a história das cidades. E, Deus usa para isso os ‘pequeninos’ (Ec 9. 14 – 16). Eu sou um agente de transformação. Deus pode me usar.

A mente controla a matéria (Hb 11. 3). Aquilo que estava na mente de Deus formou o mundo visível e material. O invisível determina o visível. A nossa cosmovisão vai determinar as comunidades onde vivemos. Se eu quero mudar a realidade é preciso ir além da sopa e mudar a crença (a mente, a cosmovisão).

Como eu posso conhecer a vontade de Deus?

· Discernimento

· Testemunho do Espírito Santo

· Palavra

· Conselhos piedosos (pessoas sábias)

· Paz de Cristo

· Dons e talentos naturais

Idéias têm conseqüências. Construímos nossas sociedades baseadas nos deuses que cultuamos. As sociedades refletem o caráter do seu deus.

A diferença entre fatalismo e fé. A fé cristã nasce da inconformidade (Rm 12. 2). Metanóia = Mudança de men

AVAD = trabalho – adoração. Trabalho construtivo, criativo... (trabalho para a glória a Deus).

Após o pecado – EVED = Castigo – Tortura.

Ética cristã do trabalho – John Wesley: “Trabalhar o máximo que puder, economize o máximo que puder, dê o máximo que puder!” I Co 10. 31. Não haverá uma transformação na comunidade sem uma ética cristã do trabalho.

Se a igreja falhar em discipular a nação, a nação discípula a igreja.

A Ética do Desenvolvimento. Desenvolvimento por discipulado. Qual é o impacto da cosmovisão no desenvolvimento?

Por que vocês querem fazer um trabalho de desenvolvimento comunitário? A minha prática ministerial revela uma crença.

Idéias têm conseqüências. As idéias viajam por todo o globo terrestre, de uma área a outra. As idéias também passam para futuras gerações. Idéias se difundem para dentro das culturas através de classes de pessoas.

Deveria ser e é assim com o Evangelho. Mas, existe hoje muita igreja, muitas almas salvas e pouco reino. Não basta um crescimento horizontal da igreja. A igreja brasileira precisa penetrar mais verticularmente na cultura do país.

Todo avivamento na história gerou uma Universidade. Todo avivamento gera transformação social. O Evangelho mexe com todas as estruturas da sociedade.

Testemunho



“Almeje coisas tão grandiosas que estarão fadas ao fracasso se Deus não se manifestar”

(John Haggai)




"Não me digam que não podem...

tem um mundo que só está esperando você dizer sim"

(Toni Melendez)

Para assistir o testemunho de Tony Melendez Clique Aqui.


Dica de Leitura


Contextualização, a fiel comunicação do Evangelho

Barbara H Burns
Editora Transcultural

O assunto deste livro é de suma importância nestes tempos de liberalismo teológico e ecletismo religioso. Muitos que hoje são chamados de ‘evangélicos’ estão vivendo no limiar do Evangelho de Cristo; optaram por uma doutrina light sem compromisso com a verdade da revelação de Deus. Mesmo que fazem uso da Bíblia estão na vereda da apostasia. Misericórdia!

Existem duas maneiras extremas e errôneas em lidar com a mensagem bíblica: em nome da ortodoxia querer pregar de modo literal, ou achar que ela tem de ser adaptada para atrair o ouvinte em nome do pragmatismo. Ambas são falsas e este texto procura mostrar como achar o meio termo: não trair a verdade e ser, ao mesmo tempo, relevante para os ouvintes.

A consulta sobre o tema, promovida pela APMB em setembro de 2006 em Atibaia SP, mostrou o grau de importância do assunto tratado. A participação de pessoas diretamente envolvidas com a prática da contextualização em diversos campos missionários trouxe um teor prático além do seu rico conteúdo teórico. Essa característica recomenda o livro para acadêmicos, missionários e também pastores e professores de Escola Dominical.
Fonte: ANTROPOS

Em todas as mesas, pão...

Vilarejo

Marisa Monte

Composição: Marisa Monte, Pedro Baby, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes

Há um vilarejo ali
Onde areja um vento bom
Na varanda, quem descansa
Vê o horizonte deitar no chão

Pra acalmar o coração
Lá o mundo tem razão
Terra de heróis, lares de mãe
Paraiso se mudou para lá

Por cima das casas, cal
Frutas em qualquer quintal
Peitos fartos, filhos fortes
Sonho semeando o mundo real

Toda gente cabe lá
Palestina, Shangri-lá
Vem andar e voa
Vem andar e voa
Vem andar e voa

Lá o tempo espera
Lá é primavera
Portas e janelas ficam sempre abertas
Pra sorte entrar

Em todas as mesas, pão
Flores enfeitando
Os caminhos, os vestidos, os destinos
E essa canção

Tem um verdadeiro amor
Para quando você for

Ouça a música clicando aqui!

terça-feira, 8 de julho de 2008

Participação

Terça-feira (08/07/2008) a Noite, a Carla falou sobre Participação.

O processo de desenvolvimento e transformação de comunidades envolve participação. E, participação não exclui a liderança.

Neemias 2. 17-18; 6.15: Envolvendo as pessoas.

Neemias 1. 2 – 6; 9. 1 -3: Neemias começa sozinho e depois havia uma multidão com ele.

A participação evita o paternalismo, a infantilização da comunidade. Não devemos fazer pelo outro aquilo que ele pode fazer por si mesmo. Normalmente as pessoas querem que alguém faça por elas. Assim, não aprendem a pensar e não assumem responsabilidade.

O processo de participação requer ajudar as pessoas também a compreenderem que elas também têm responsabilidades.

Comece com o que as pessoas têm. O recurso mais valioso que podemos encontrar nas comunidades são as pessoas. Tudo de que precisamos para iniciar um projeto de transformação de comunidade já está lá.

Excelência


Na Terça-feira (08/07/2008) Noite ainda, a Joyce enfocou a Excelência.

Devemos fazer para as pessoas as coisas como se fossemos fazer para Jesus. Fazer bem feito. Não é porque vamos fazer para pessoas simples da comunidade que significa que podemos fazer de qualquer jeito. Trabalhar com excelência é dar bom testemunho. Devemos prezar pela excelência em todas as áreas da vida: pontualidade, sinceridade, prestação de contas, etc.

Por outro lado, existe o perigo de humilharmos ou menosprezarmos as pessoas. É preciso cuidado. Fazer excelente sim, mas dentro da realidade das pessoas com quem vamos trabalhar. Fazer o melhor possível com os recursos disponíveis.

Trabalho em Equipe


Na Terça-feira (08/07/2008) a Noite a Deyse falou da impoortancia da Ênfase nos Relacionamentos.

Deus é relacional. Jesus se relacionava com todo tipo de pessoas. As pessoas geralmente tendem a selecionar as pessoas com quem vão se relacionar. A influencia que você deseja ter entre as pessoas depende do relacionamento que você vai ter com a comunidade. As pessoas sabem se você está realmente interessado nela ou se está interessada em outra coisa. E, nossos gestos revelam se estamos mesmo abertos e dispostos a nos relacionar.

Jesus não dava apenas respostas às pessoas, mas deixava também questionamentos. Jesus estava querendo estabelecer relacionamentos. Deus deseja se relacionar conosco.

O trabalho em equipe é importante porque nós aliviamos os fardos uns dos outros. E, na equipe, temos o privilégio de fazer novas amizades e aprofundar relacionamentos. E, a amizade é mais importante do que a função. Por isso, o perdão é fundamental. É preciso consenso, mas isso não significa concordar com tudo o que o outro diz. No entanto, mesmo que às vezes não concordemos com o outro, em nome da amizade e da equipe, pelo princípio do consenso devemos dizer: ‘tô junto, vamos lá!’

Uma equipe é destruída quando falta comunicação efetiva.

Projeto Semente

Na Terça-feira (08/09/2008) a tarde o Marcel compartilhou sobre Projeto Semente.

Mt 13. 31 e 32 – “Sementes aplicadas no Reino de Deus”

I Rs 17. 7 – I Rs 18. 1 – Sementes da viúva de Sarepta

II Rs 4. 1 – 7 – a semente da viúva de um dos profetas

v. 2a: ‘Como posso ajudá-la?’ Não existem respostas prontas no enfrentamento da pobreza. Elizeu não ‘infantiliza’ a mulher. Ação inclusiva.

v. 2aa: ‘Diga-me, o que você tem em casa?’ Elizeu ajuda a mulher a ter a percepção do recurso local. A lucidez do Evangelho abre os olhos. A pobreza embota os sentidos.

v. 3: o conselho de Elizeu consiste em que a mulher reative os seus vínculos sociais: ‘Vai mulher!’ Depois, aparecem os indicativos de como a mulher poderia iniciar ‘um negócio’. Os pequenos recursos são multiplicados graças a intervenção de Deus.


Ou é tudo ou é nada: I Ts 5. 23

Padrão de crescimento e desenvolvimento: Lc 2. 52


Quatro áreas de impacto: Sabedoria; Física; Espiritual; Social.

Os projetos não devem ser desenvolvidos na perspectiva de promoção pessoal ou institucional.


O Projeto Semente trás a idéia de que com pouco recurso é possível desenvolver pequenos projetos nas comunidades próximas a nós. Essa parte do SEDEC tem por objetivo capacitar os participantes com a parte prática: como desenvolver projetos, captar recursos, criação de ongs, etc.

Cosmovisão


Hoje continuamos no assunto das cosmovisões. Existem inúmeras cosmovisões (maneiras de ver e compreender o mundo). Mas, por questões didáticas, o palestrante enfocou as 3 grandes cosmovisões predominantes no mundo: Secularismo, Animismo, Teísmo Judaico-cristão. Diante disso, é preciso compreender melhor o que se entende também sobre batalha espiritual. A verdadeira batalha espiritual é aquela que acontece pelas mentes e corações dos povos. É uma batalha de cosmovisões.

Na visão teísta judaico-cristão Deus é o criador. Nos últimos séculos ‘criação’ foi substituído por ‘natureza’. Para o cristianismo Deus é transcendente e imanente. Ele é separado, superior à criação, mas, também se encarna, se manifesta na história.

No deísmo crê-se que Deus até criou todas as coisas, mas deixou a criação a mercê da própria sorte. O que vale mesmo são as leis naturais. O deísmo favorece assim, o surgimento do humanismo secular onde Deus já não é reconhecido sequer como criador. Só existe a matéria. Não existe na cosmovisão secularista o sobrenatural. Resultado: mundo de consumo, hedonismo, o homem como referência.

O Manifesto Humanista é a bíblia do Humanismo secular: ‘nenhuma divindade nos salvará, devemos salvar a nós mesmos’. O homem passa a ser a medida de todas as coisas. Logo, é uma fé religiosa idólatra. O homem é o centro. No Teísmo Deus é o centro.

No humanismo secular é o homem que define o que é ético. O que vale é o que me faz bem. Não existe um princípio transcendente.

Na área da biologia, o humanismo secular compreende que o homem e a natureza não foram planejados .

Na psicologia o que vale é a auto-realização. O homem não é mau em si mesmo, não há pecado. As estruturas é que são más. A sociedade é que corrompe. Da idéia de que é preciso mudar a estruturas da sociedade nasce o comunismo. Mas, será que o homem é capaz de trabalhar pelo bem da sociedade?

O teismo vai dizer que não é a sociedade que precisa ser mudado, mas o homem. O pecado é inerente ao ser humano. Já o humanismo secular tem colocado o homem no lugar onde ele não deveria estar e, com isso, acaba denegrindo o homem.

O cristianismo acredita que a culpa humana é real e não somente psicológica. Não é algo como que eu me sinto assim, eu preciso é ser curado. Não precisamos de Cristo por que eu me sinto mal, eu realmente sou mal e preciso do seu perdão.

Globalismo. Na política o humanismo vai trabalhar na perspectiva de governos globais. Paraíso na terra construído pelos próprios seres humanos. Amoralidade é uma das marcas. Põe-se contra a autoridade da religião. Propõe assim o liberalismo, principalmente na área sexual. Evolucionismo e autonomia humana são outras marcas do humanismo. Não há julgamentos após a morte.

O humanismo secular domina o ocidente: mídia, universidade, governo...

I Cr 12. 32. Filhos de Issacar: conhecedores da sua época.

Quem são os ‘filhos de Issacar’ em nosso tempo?

O outro extremo do humanismo secularista é o animismo.

Tudo é espiritual. No animismo a vida são forças espirituais que engendram as realidades. Tudo tem uma causa sobrenatural. O cristianismo sofre dessa influencia quando diz que tudo é culpa do diabo.

No secularismo o problema da pobreza é material. O animismo ‘resolve’ o problema expulsando o espírito de miséria.

No Animismo a realidade fundamental é espiritual. No Secularismo a realidade fundamental é material. No Teísmo Bíblico a realidade fundamental é pessoal.

O desafio é o equilíbrio. Integralidade. Qual área da minha vida está precisando de restauração? A vida é um todo. O homem e a natureza precisam ser colocados no seu devido lugar. Quem está no centro é Deus na compreensão teísta.

Onde tem ser humano já existe um potencial de transformação. As comunidades locais possuem todos os recursos necessários para a transformação.

Onde você encontra sentido? Como você explica a vida? A resposta que você dá a essas perguntas revela a cosmovião que molda o seu mundo. O cristianismo sempre abre espaço para a transformação.

O cristão pode olhar a realidade e dizer: ‘Deus não quer assim, então pode ser transformado’.

Para que haja transformação é preciso transformar a mente e o coração. Começa pelo ser humano. O perigo é simplesmente concluir que a realidade de pobreza está dentro da pessoa e, por isso, a responsabilidade é deles. Não basta que o pobre adquira a cosmovisão cristã. Existem problemas estruturais, carência de recursos, etc.

SEDEC 2008

Aos queridos irmãos do SEDEC, preciso dizer o seguinte: os textos aqui não são necessariamente um resumo das palestras. Estou tentando compartilhar algumas coisas que eu tenho ouvido e escrever com a maneira como eu tenho compreendido as mensagens. Apenas para deixar claro que já houve um 'filtro' que pode reduzir, deturpar, acrescentar, etc o conteúdo. Agradeço os comentários que possam acrescentar e enriquecer os conteúdos. Vamos refletir juntos!

Comunidade SEDEC 2008 no Orkut


Desenvolvimento Comunitário

A tarde de segunda-feira foi de apresentações dos projetos do CADI. São projetos interessantes que atingem crianças, mulheres e até famílias inteiras na perspectiva da missão integral. Belos exemplos a serem seguidos...
A noite tivemos uma palestra com o pastor Eleandro da Igreja Água Viva em Curitiba. Sua palestra sobre Princípios de Desenvolvimento Comunitário além de bom conteúdo rendeu boas risadas.

1. Visão Integral do homem. “O Evangelho TODO, para TODO o homem e para o homem TODO, em TODOS os lugares”.

Mt 4. 23, 24. Compaixão. Jesus percorria os povoados: ensinando, anunciando, curando, libertando, sociabilizando.

Lc 4.18. Boas novas aos pobres, liberdade aos presos, recuperação da vista aos cegos, libertar os oprimidos, proclamar a Graça. Hoje, é missão da Igreja cumprir esse programa.

Deus destruiu Sodoma e Gomorra por causa da Imoralidade, Idolatria e Injustiça…

Pobres – são os destituídos de condições mínimas de subsistência

Presos – vítimas das prisões invisíveis do pecado, da depravação, do cativeiro espiritual.

Cegos – são aqueles acometidos de enfermidades físicas.

Oprimidos – são as vítimas de sistemas injustos e opressores.


2. Visão Equilibrada de Intervenção

Espiritualidade – Programas Sociais

Compaixão – Planejamento Estratégico

Direção de Deus – Execução de projetos

Espontaneidade – Avaliação

Batalha Espiritual – Gestão Eficaz


Deus não nos chamou para fazer ação social. Ele nos chamou para transformar realidades.

Deus te usa na medida da profundidade da tua capacitação.


3. Identificação com a comunidade

Fp 2. 5-8

Siga o exemplo de Cristo – Seja servo – seja semelhante – seja humano: Identifique-se.

Amar o suficiente o ‘seu’ povo ao ponto de se tornar um deles.

Identificação requer ações diárias de sabedoria.

Reconhecimento do saber local.


4. Trabalho Preventivo

Continuar com ações restauradoras + Investir em ações preventivas =

Ampliar exponencialmente os resultados de transformação comunitária


segunda-feira, 7 de julho de 2008

Cosmovisão Cristã e Transformação Integral

Hoje (07/07/2008) de manhã o Maurício Cunha tratou do tema Cosmovisão Bíblica e Transformação Social. O assunto gerou certa polêmica. Houve bastante questionamentos, exemplos e argumentos... O assunto é sem dúvida instigante e desafiador.

O ser humano está sempre interpretando a vida. Estamos sempre procurando uma resposta.

O cristianismo é verdade por que eu creio ou eu creio por que é verdade? Mesmo que ninguém no mundo creia, o cristianismo continuará sendo a verdade.

As questões mais fundamentais da vida são questões de fé. Elas vêm do nosso sistema de crenças. A cosmovisão de cada um responde a 3 perguntas relacionadas ao ser humano: ao ser (o que é a realidade? O que é o homem? A história caminha para algum lugar? O trabalho é importante? Como eu posso conceber a natureza e o tempo? Quais são os determinantes da saúde e da doença?); questões morais (o que é certo? O que é errado? De onde vem o mal?); epistemológicas/relacionados ao conhecimento (o que eu posso saber e conhecer? Como eu posso conhecer?).

O cristianismo se fundamenta numa verdade absoluta. O mundo fundamenta a vida numa fé baseada numa maneira própria de explicar a vida.

A fé cristã não é um salto no escuro. A fé cristã se fundamenta em evidências. A fé cristã ‘bate’ com a realidade.

A Bíblia é uma cosmovisão. É uma maneira de ver e entender o mundo. Ela explica a vida. Ela fornece fundamentos essenciais para um processo de estabelecer os alicerces de uma nação.

O trabalho de desenvolvimento comunitário é mais do que dar sopa. Transformação começa com mudança de paradigmas.

A cosmovisão não opera somente no plano cognitivo, mas também nas experiências do indivíduo. Por isso, não basta uma simples palestra para mudar uma cosmovisão. È necessário lançar mão de outras tecnologias sociais. Não se pode reduzir a experiência humana somente ao cognitivo/cérebro.

È fundamental se fazer o diagnóstico correto antes de iniciar qualquer projeto de desenvolvimento comunitário.

‘Quem é o próximo do receptor da misericórdia?’ Eu serei próximo de quem? (A Parábola do Bom Samaritano – Jesus inverte a lógica da pergunta).

Para iniciar um projeto de desenvolvimento comunitário eu preciso conhecer 3 cosmovisões: a minha, a do outro e a Bíblica.


“Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são!”

(Mateus 6. 22, 23)


Culto


Ontem a noite (domingo) fomos ao culto na igreja Nova Vida que fica aqui ao lado do CADI. A comunidade nasceu a partir de pessoas atendidas pelos projetos do CADI. Como se vê na foto, as obras de construção do templo ainda não estão completamente concluídos. Os participantes do SEDEC foram orientados a participar de culto onde o Maurício pregou sobre a Missão e o Reino de Deus. Onde cada um deseja fazer as suas própria vontades não existe reino. O reino de Deus acontece onde deixamos Deus ser o Rei, o nosso Senhor. Um lugar onde cada um quer que as suas próprias vontades sejam sempre atendidas só pode ser o inferno...
O Reino de Deus já chegou para você (na sua vida)?

Redenção...


“Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude, e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão nos céus, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz” (Colossenses 1. 19 – 20)

A tarde de domingo (06/07/2008) foi com palestra de Maurício Cunha. O tema abordado foi o senhorio de Deus sobre todas as coisas: Você acredita em Deus? A resposta que você dá a essa resposta vai fazer toda a diferença na tua vida e na maneira como você se relaciona, trabalha e serve.

Ou o Evangelho é total/integral, ou ele não vale a pena. Se eu creio que o meu Deus é o criador de todas as coisas, quanto mais eu pesquisar essa criação mais ela vai me revelar a glória de Deus. Existe uma ênfase muito forte nas nossas igrejas de que Deus é o nosso salvador. No entanto, Deus é também criador, Ele é o Senhor. O pecado do incrédulo é resistir à verdade. O pecado da igreja é restringir a verdade.

O que Deus queria com a criação?

Deus não precisa de nós. Ele sempre foi Deus. Vive numa comunidade (trindade). No entanto, em sua soberania ele decidiu dividir a glória dele. Ao nos criar, Deus usa a si mesmo como referência. Adam = humanidade. Toda vida humana é intrinsecamente sagrada. O paradigma da missão integral da igreja parte dessa compreensão: a vida humana é sagrada.

Deus criou todas as coisas e viu que tudo era muito bom. Então, Ele decidiu entregar a gestão do planeta ao homem. No desejo de ter tudo e de ser igual a Deus a humanidade acaba por perder tudo. Toda a criação cai. O pecado atinge toda a criação. As 4 dimensões da criação são afetados: espiritual, relacional, físico e a sabedoria. A partir de então Deus inicia um projeto para redimir a criação. Deus começa com Abraão, envia profetas e, finalmente, envia seu próprio Filho Jesus Cristo.

A vida e ministério de Jesus são modelo, exemplo e redenção. Desenvolvimento Comunitário é o reino de Deus chegando à comunidade transformando todas as áreas da sociedade.

domingo, 6 de julho de 2008

Formação


“...naquela cidade vivia um homem pobre mas sábio, e com sua sabedoria ele salvou a cidade. No entanto, ninguém se lembrou mais daquele pobre” (Eclesiastes 9. 15)


Na sexta-feira (dia 04) saímos de Pelotas rumo a Curitiba. Uma viagem tranqüila de 12 horas e meia. Nosso destino na verdade era a Fazenda Rio Grande (município da região metropolitana de Curitiba). Aqui ficaremos (a Débora e eu) até o dia 19 de julho. Estamos no CADI (Centro de Desenvolvimento e Desenvolvimento Integral) participando do SEDEC – Seminário de Desenvolvimento Comunitário. São 68 participantes vindos de 8 estados diferentes do nosso Brasil.

Se a tecnologia permitir vou compartilhar desses dias nesse espaço do Blog. Hoje, domingo de manhã, foi destinado um tempo para compartilhar vida, fazer apresentações, ‘construir’ casa, povoar o morro e criar a comunidade dos participantes do SEDEC. Muitas histórias, várias experiências, inúmeros sentimentos, desejo de aprender...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Devaneios...


Tantas janelas!

Quem será que olha por elas?

Cada janela um olhar.

Olhares emoldurados por uma janela.

Mais tristes são as paisagens emoldurados sem janelas...

terça-feira, 1 de julho de 2008

Liberdade Com Responsabilidade

Quando não existe responsabilidade no gozo da liberdade,
a lei se faz necessária

Apesar de muitas pessoas que bebem relutarem em admitir que o álcool altera reflexos e comportamentos, foi sancionada nova lei sobre álcool e trânsito. O projeto proíbe a venda de bebidas alcoólicas ao longo dos trechos das rodovias federais nas áreas rurais. Os motoristas também não poderão apresentar, nos testes de bafômetro, nenhum teor de álcool no sangue. A infração, considerada gravíssima, será punida com multa de R$ 955,00. A lei já veio tarde. A maior parte das mortes em acidentes de trânsito no Brasil está relacionada à ingestão de bebida alcoólica. Como no Brasil as cadeias não dão mais conta de tanto bandido, talvez a multa e a perda da habilitação sejam medidas mais cabíveis.

Já é possível enxergar movimentos de pressão para derrubar a lei. Os argumentos são em sua maioria superficiais e egoístas. Cada vez mais a sociedade revela sintomas de incapacidade para pensar no bem maior. No entanto, os governantes devem sempre zelar pelo bem público. Sua responsabilidade é com a sociedade. Toda medida só é boa se beneficia o conjunto da sociedade. Às vezes, para que haja uma verdadeira evolução, é preciso sacrificar prazeres pessoais para o bem comum. O desafio agora está com os órgãos fiscalizadores. A lei está aí para ser cumprida. A perspectiva não deveria nunca ser pelo lado da restrição, mas, pela promoção da vida. Quando não existe responsabilidade no gozo da liberdade, a lei se faz necessária.

O próximo passo agora deveria ser concentrar esforços para reduzir ou até extinguir a propaganda de álcool na televisão. O poder de influência sobre as pessoas, especialmente crianças, é inegável. É claro que culpar a mídia, as instituições educacionais e o governo não bastam. A responsabilidade de todos começa dentro de casa. O diálogo ainda é a melhor solução para conscientizar, orientar, estreitar laços, demonstrar interesse e preocupação. No Brasil todos são rápidos em achar culpados. Poucos estão dispostos a reconhecer a sua parcela de culpa pelos problemas. Enquanto nos julgarmos apenas vítimas inocentes a se precipitar em encontrar culpados ‘lá fora’, as anomalias sociais se multiplicarão. Seremos cada vez mais encurralados e ameaçados. O crescimento da sensação de insegurança é sintomático.

A nova lei é perfeita? Não. Vai resolver todos os problemas? Não. No entanto, as fragilidades que envolvem o processo de fiscalização não podem servir de desculpa para deixar tudo como está. Quem não bebe não teme. Lembrando ainda que o bom senso deveria guiar àqueles que devem aplicar à lei bem como aos motoristas em geral.

EFEITOS DO ÁLCOOL NO ORGANISMO

Veja Também:

Related Posts with Thumbnails