Agradeço a todas as visitas e comentários! Seja bem vindo!!! Que Deus abençoe a tua vida!

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Balizas da Fé Cristã I

A Bíblia

Por que tanta gente ainda hoje lê um livro tão antigo como a Bíblia? Praticamente todas as grandes religiões possuem seus livros sagrados. A Bíblia é o Livro Sagrado para os Cristãos. Ela foi escrita por pessoas sob a inspiração de Deus. As doutrinas e ensinamentos do cristianismo devem basear-se na Bíblia. Ali encontramos a revelação do propósito de Deus para a humanidade. A Bíblia é uma grande carta de amor de Deus para o mundo.

Todo ensinamento da igreja deve basear-se primeiramente na Bíblia. Quando uma igreja inventa novidades ou contraria a vontade de Deus revelada na Bíblia, é preciso estar alerta. O ser humano é falho e pode usar a Bíblia, a igreja e a boa fé das pessoas para explorar e levar vantagem. Por isso, devemos conhecer a Bíblia. Assim, conseguiremos discernir as palavras e as ações das pessoas. Mais do que ler, é importante entender o que se lê.

No Evangelho de Mateus 7. 16 Jesus disse: “Vocês os reconhecerão por seus frutos. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas?” Isso significa que as ações das pessoas e dos líderes vão revelar suas verdadeiras intenções. Jesus convida a observarmos se há coerência entre aquilo que as pessoas e líderes falam e aquilo que eles fazem. Existe coerência entre o discurso e a prática?

Um exemplo para nós hoje deve ser os cristãos de Beréia. A respeito deles o livro de Atos diz que “receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo” (Atos 17. 11). A Bíblia é o parâmetro, a referência para aqueles que procuram levar a sério a sua fé e relacionamento com Deus.

Quem hoje está preocupado em conferir nas Escrituras se tudo aquilo que dizem por aí é assim mesmo? Hoje é muito fácil encontramos templos, programas de televisão e livros que pretendem apresentar uma mensagem cristã e bíblica. Mas, será que é tudo assim mesmo?

sábado, 27 de dezembro de 2008

Creio, Não Creio

Em que você crê? Em quem você Crê? E, em que você não crê? Assumir uma posição de fé significa dizer sim para várias coisas. Mas, por outro lado, significa também não embarcar em muitas tantas ofertas religiosas que existem por aí. Sempre que eu digo que acredito numa determinada coisa, automaticamente estou dizendo que não creio em uma série de outras propostas. Uma palavra que poucas pessoas compreendem o significado hoje é coerência. Muitas pessoas estão confusas diante dos tantos apelos, doutrinas e religiões. Como saber se não estamos sendo enganados? É possível crer ao mesmo tempo em duas verdades opostas? Existe alguma harmonia na forma como você compreende a vida, a morte, a fé e tantos outros assuntos neste mundo onde você vive? Ou você também sente falta de algumas balizas orientadoras de vez em quando? Será que ‘é tudo a mesma coisa’ como muitos gostam de dizer? Baliza é uma coisa que pode ter vários significados. A pergunta é em que sentido essa palavra serve à nossa reflexão. Vejamos alguns significados que o dicionário apresenta para Baliza: 1) Marco, poste ou outro sinal que indica algum lugar; 2) Sinal para impedir o trânsito em ruas ou praças; 3) Sinal que indica uma passagem; 4) Limite. Logo, poderíamos perguntar: quais são as balizas da fé cristã? Quais são os marcos ou sinais que indicam que estamos no caminho certo? Quais são os sinais que servem de alerta para nos avisar quando estamos desviando da rota? Existem limites quando o assunto é religião e fé? Diante dessas perguntas, podemos indicar de forma rápida e simples algumas das principais balizas que nos ajudam a perceber em qual caminho estamos seguindo. Lembramos, portanto, desde já, as palavras de Jesus Cristo, que disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (João 14. 6). Você está no caminho? Nos próximos artigos vamos abordar pelo menos doze tópicos que um cristão não pode ignorar. Nós poderíamos abordar aspectos ou questões principais de outras religiões. No entanto, confesso o cristianismo como minha fé e estilo de vida. Respeito as demais crenças. Como não existe ninguém neutro ou totalmente laico quando vai expor seus pensamentos e opiniões, quero deixar claro e ser bem transparente quanto a confiança que tenho no Senhor Jesus Cristo e na vontade de Deus revelada nas Sagradas Escrituras. Vem daí a influencia sobre a minha visão de mundo bem como a fonte da minha esperança de vida.

Continue Lendo:

A Bíblia
O Ser Humano

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Um Abençoado Natal!

video
Música: Simplicidade (Pato Fu)

Que

neste

Natal...
Apesar da ceia,
Apesar das luzes,

Apesar dos fogos,
Apesar das festas,

Apesar da ressaca,
Apesar das compras,

Apesar do papai Noel,
Apesar dos presentes,

Apesar dos chocolates,
Apesar das frases de sempre,
Seja ainda um tempo de refletir...
...sobre a beleza da simplicidade
...sobre a importância de Jesus Cristo
...sobre o amor de Deus que se encarnou
...sobre vida abundante que é a proposta
...sobre um menino que veio para morrer.
Que apesar do tanto que se desmancha em nada
seja um dia para compreender que nada
pode ser melhor do que O Tudo!


Feliz Natal!




Um abraço e que Deus abençoe a tua vida!

Rodomar Ricardo Ramlow

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Jingle Bell, Jingle Bell

Feliz Bolha de Sabão!

Dois milênios atrás, numa terra distante do lugar que conhecemos hoje como Brasil, um povo aguardava por um novo tempo. Sua esperança estava depositada na vinda de um novo rei. A história de vida e compreensão de mundo de cada pessoa fazia com que as expectativas fossem também diferentes: libertação, poder, fama, riquezas, perdão, sucesso, sentido, felicidade, etc. Iria depender muito dessas expectativas a capacidade que cada um teria de reconhecer a inauguração do novo reino e a chegada do grande rei. Um império dominava. Taxas pesadas eram cobradas. Havia uma religião mancomunada com o poder do império, o que aumentava a opressão ao povo. Um contexto como tantos que faz as pessoas ansiarem por mudanças.
Não se pode atender a todas as expectativas. Nem todas as idealizações correspondem às melhores respostas que se busca no mais íntimo de cada ser. Quanto mais cegos e apegados às próprias expectativas e pressupostos, maiores serão as chances de frustração. E, quando a resposta, a solução, a esperança finalmente surge concreta, mesmo aqueles que mais ansiosamente esperavam algo novo são incapazes de reconhecer a oportunidade. Ignorantes, cansados de esperar pelo que já veio, seguem-se construindo as próprias pontes de escape. A incapacidade de perceber o travesseiro macio, impele à correria desengonçada atrás da pluma ao vento. E, quando finalmente achamos tê-la, a pluma se revela uma bolha de sabão. Tudo se desfaz ao mais leve toque.
Duas possibilidades: reconhecer que a correria é vã ou, deixar-se encantar pelas inúmeras outras bolhas: leves, coloridas, brilhantes todas ali, à disposição, por um preço acessível... Mais algum esforço e logo mais outra poderá ser alcançada! Não é curioso como algumas coisas só fazem sentido enquanto não às temos!? Ninguém é dono de uma bolha de sabão! Existem épocas do ano quando aumentam as bolhas a colorir as paisagens das nossas janelas de tela plana. Fazem-nos acreditar que seu brilho e colorido são a resposta para o lixo interior que apontam em nós. O mundo está em crise? Ignore, corra agora às caixas borbulhantes, magníficas, mágicas... Você merece, tem todo o direito, pegue agora mesmo a sua bolha de sabão!
Sobre os acontecimentos de dois milênios atrás? Ora, quem ainda quer saber sobre essa velha história!? Estamos todos muito ocupados com a busca da verdadeira felicidade, a carreira, os presentes, as ceias, as férias... Ah, as férias, um mês inteiro para ser feliz de verdade...! Ih! Estourou a minha bolha de sabão!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Macumba Gospel...

Para aqueles que ainda acham que eu exagero:
video

“Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos. Vejam que eu os avisei antecipadamente”
(Mateus 24. 24, 25)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Questionamentos Diante do Incompreensível


O noticiário das últimas semanas tem repetido exaustivamente os trágicos acontecimentos no estado de Santa Catarina. Muita chuva, desmoronamentos, prejuízos diversos, milhares de pessoas desabrigadas e o número de mortos passa de uma centena. O Brasil jamais tinha visto tamanha catástrofe. A Defesa Civil está engajada na maior operação de resgate e ajuda da sua história. Os acontecimentos no estado vizinho comovem o país que se mobiliza para ajudar. Toneladas de materiais doados, principalmente água e alimentos tem amenizado o sofrimento de muitos. No entanto, há muito que fazer. Faltam principalmente colchões e travesseiros, materiais de higiene pessoal e produtos de limpeza para desinfetar as casas atingidas. Estima-se que mais de 100 mil pessoas tiveram contato com água contaminada. Os riscos maiores são de leptospirose. Mesmo com a diminuição das chuvas, as consequências vão continuar aparecendo, podendo inclusive, gerar uma calamidade na saúde pública do estado.
Em tempos de tragédia, dor e sofrimento, é comum ouvir pessoas questionando a Deus, procurando a quem responsabilizar, buscando alguma explicação que possa oferecer algum sentido em meio ao caos. O mais difícil é encontrar forças e sensatez para assumir a própria responsabilidade. O consolo e a esperança estão em podermos acompanhar junto com as notícias trágicas a mobilização de milhões de pessoas para ajudar de alguma maneira. Por mais que tentemos compreender os acontecimentos, somente a nossa ação concreta vai fazer diferença agora. O texto bíblico que me vem a mente são as palavras de Jesus em Mateus 5. 45: “porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos”. Mais uma vez fica claro que Deus não ‘funciona’ pela lógica do karma, da causa e efeito, de quem premia ou castiga de acordo com o mérito humano. Respostas simplistas não bastam diante de tamanha dor. É difícil compreender todas as coisas nessa hora.
Em tempos de muitas perguntas e poucas respostas, que possamos deixar Deus ser Deus, aquele que dá ânimo e consolo em meio ao caos. Que Ele seja nossa fonte de esperança e vigor a serviço de quem mais precisa. Pode ser difícil compreender a Deus nesses momentos, mas não é difícil nos entregarmos em suas mãos. Motivados pelo versículo de Gálatas 6. 2: “Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo”, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, que, aliás, possui milhares de membros nas regiões atingidas, disponibiliza uma conta para todos que queiram ajudar: Banco do Brasil, IECLB Campanha Calamidade em SC, CNPJ: 92.926.864/0001-57. Agência: 0010-8, Conta Corrente: 40.000/9. Que nossos questionamentos encontrem resposta na solidariedade que somos capazes de demonstrar nesta hora!

Veja Também:

Related Posts with Thumbnails